Tomar um copo de água ou usar uma roupa novinha?

A pergunta pode parecer surreal, mas quando a gente olha pra esse assunto mais de perto, até que faz sentido. Afinal, será que vai sobrar água pra beber se a gente continuar entupindo rios e mares com tranqueiras tóxicas e desperdiçando água loucamente?

Quem mora em SP está sentindo na pele o que é a ameaça de uma escassez real. Mas já está faltando água para milhões de outras pessoas ao redor do mundo. E faz tempo. A ONU estima que até 2025 cerca de dois terços da população mundial estará sem água. E mesmo que a sua torneira ainda não tenha secado, você é impactado por isso. O problema da água é sistêmico. Falta água aqui, por que algum outro lugar do mundo também está em desequilíbrio. E o desequilíbrio daqui afeta outros lugares por consequência.

Fechar as torneiras, deixar de lavar o carro, reaproveitar ao máximo antes de descartar a água e outas ideias são medidas básicas pra reverter esse cenário. E eu não vou nem entrar no mérito das medidas que as autoridades deveriam estar tomando. Prefiro adotar o ponto de vista do que NÓS podemos fazer além do básico e óbvio. De como nossas escolhas de consumo influenciam nessa conta sem que gente perceba.

Uma grande parte da água que consumimos diariamente não sai das nossas torneiras. Em tudo que nos rodeia uma grande quantidade de água foi envolvida na produção (já ouviu falar em água virtual?). E na maioria dos casos isso é feito com descuido. Como por aqui a visão mais cuidadosa com o mundo é feita a partir das roupas, sugiro começar por elas. Mas ao investigar qualquer outro produto, as conclusões podem ser parecidas ou piores. 

Voltando as roupas: Geralmente compramos o desperdício de milhares de litros de água quando levamos uma camiseta ou calça jeans novos pra casa. A água é usada em seu processo de produção principalmente pra cultivar ou extrair a matéria prima (o algodão, por exemplo, é um dos plantios que mais desperdiça e enche o mundo de agrotóxicos) e nos processos de tingimento (deixando muitos rios se tornarem roxos, amarelos ou vermelhos e tóxicos por ai a fora). Com isso, a indústria têxtil é responsável por 20% da contaminação industrial das águas em nível global.

 
 

Além do que é gasto no processo de produção, durante o uso lá se vão mais outros milhares de litros de água. Uma peça de roupa tem 60% do seu consumo de água e energia feito durante a vida útil. Com a situação atual, com certeza teremos que rever nossos comportamentos.

Será que precisamos lavar tanto as nossas roupas assim?

O CEO da Levi's diz que não. Segundo ele, além das medidas tomadas pela empresa para reduzir o impacto da sua produção, eles tentam disseminar que não é preciso lavar com frequência as suas calças. No vídeo, ele está usando uma calça que não foi lavada há um ano. E conta que não pegou nenhuma doença de pele por isso. Sugere que a gente lave com esponja somente as partes que se sujam, ao invés de enviar a calça toda na máquina, por exemplo.

 
 

Apesar de eu achar que o melhor jeito de reduzir o impacto da produção é produzir menos, acho interessante que eles tragam esse assunto à tona. São mudanças de comportamento que terão de acontecer de forma definitiva e impactam diretamente nas nossas vidas.

Começar sendo mais cuidadoso com o uso da água a partir das roupas é um ótimo exercício. Afinal elas estão com você no seu dia a dia e podem servir como lembrete a todo tempo. Comprar e usar com mais consciência. Por aqui vamos falar bastante sobre formas de fazer isso. ;)

*fonte dos dados: livro Moda Ética para um Futuro Sustentável, da Elena Salcedo.

-- post escrito com carinho por Mari Pelli.