Roupinha Livre

Os bebês crescem muito rápido. Mesmo. Para se ter uma ideia, aos 6 meses os bebês têm, em média, mais que o dobro do peso que tinham ao nascer. Com 1 ano, eles têm mais que o triplo do peso do nascimento. E a altura do bebê também dá um salto: os recém-nascidos têm de 47 a 50 cm, e ao completar 1 ano de idade medem cerca de 75 cm.

Isso significa que eles perdem MUITA roupa, MUITO rápido. Coisa impensável para os adultos, do tipo: usar um body apenas 3 vezes e não servir mais. Ou nem chegar a usar uma roupa mais quente porque estava calor durante aquele curto tempo em que a tal roupa de fato serviria. Ou perder um vestido porque fez frio durante duas semanas. É assim, sem nenhum exagero.

Aqui em casa, enquanto aumenta a sacola de roupas que a Clara já perdeu, a prateleira das roupas que ainda não servem vai ficando com cada vez menos peças. O que é aterrorizante para uma mãe! Antes de nascer, os bebês têm praticamente 9 meses para criar um estoque de roupinhas - e geralmente ganham mais roupinhas menores, que vão usar nos primeiros 3 meses, e algumas para 3 a 6, poucas para 6 em diante… 

Depois dos primeiros meses de vida, os presentes diminuem, e os pais começam a ter que comprar roupas. E os preços são de cair para trás. Umas roupinhas tão pequenininhas, com tão pouco tecido e com preços que em geral começam em R$ 30 a peça. Pensa: com a rapidez que os bebês perdem roupas, essa brincadeira sai bastante cara.

Mas existem várias formas para aproveitar melhor as peças dos pequenos. Entre elas estão os encontros de trocas. Uma opção que além de ser econômica, é divertida e ajuda a criar a consciência sobre o consumo desde a infância.

Por isso a Casa de Viver vai receber a primeira edição do Roupa Livre para bebês e crianças no dia 28/2. Basta fazer a inscrição pelo link, separar uma quantidade de roupinhas que seja fácil de levar e trazer no dia e contribuir com o valor de R$10,00 no dia do evento. As crianças também podem vir junto e trazer brinquedos para trocar com as outras crianças. 

Além do encontro de trocas, vamos ter oficinas onde pais e filhos vão fazer brinquedos a partir de retalhos e transformar camisetas usadas com arte!

Eu não vejo a hora de aproveitar essa programação e sair cheia de roupinhas novas pra próxima fase do meu bebê! :)

-- post escrito com carinho por Carina Lucindo, mãe da Clara e criadora da Casa de Viver.