Liberte suas roupas: o Roupa Livre App está no ar.

E então (finalmente) chegou o dia: o Roupa Livre App está no ar ♥ ♥ ♥

Depois de muitos meses de trabalho, depois de sonhar, planejar, desenhar e testar cada detalhe e cada tela, o aplicativo está ai. Pronto pra você baixar, usar e começar a trocar suas roupas usadas direto do seu celular.

Ainda temos muito pra melhorar, mas vocês não tem ideia da felicidade que é ver o bichinho funcionando direitinho e receber seu primeiro "match". Lindo. ♥

(Pra quem ligou neste canal agora, o aplicativo possibilita troca de roupas usadas, funcionando na mesma lógica do Tinder.)

Baixe agora!

 
 

É uma felicidade enorme ver este aplicativo nascer e poder sentir toda essa energia boa e de renovação que as trocas nos proporcionam.

A partir de agora você vai poder ter um encontro de trocas sempre disponível no seu celular. Mas, assim como nos encontros presenciais que a gente organiza e participa, o objetivo vai muito além de só nos desfazermos de algo e obtermos roupas "novas". A missão é estimular e exemplificar um novo olhar para nossas peças. É provocar a reflexão sobre o montante de coisas que consumimos e oferecer soluções para melhorar esse consumo, tornando-o uma prática mais ética, justa, solidária.

Nossas roupas contém um pouquinho de cada pessoa que as produziu. Desde o(a) costureiro(a), o(a) modelista, o(a) vendedor(a), o(a) estilista... todos depositaram uma parte do seu tempo e esforço nela. Isso nos torna responsáveis por cada item que temos em nossos guarda roupas. Porque também fomos nós que financiamos todo aquele tempo e esforço. Fazemos parte deste processo.

Cabe a nós, financiadores, consumidores finais e detentores da peça, acharmos o melhor lugar pra elas irem depois de não nos servirem mais. Só porque uma peça sumiu da nossa vista não significa que tenha sumido do mapa: nós continuamos a ter responsabilidade sobre ela. 

Existem alternativas que oferecem um destino real e mais consciente pra essas peças. O Roupa Livre App é destas, que possibilita que as roupas paradas possam ser compartilhadas e não descartadas. Onde outras pessoas possam ter experiências com roupas que eram nossas. E nós possamos ter novas experiencias com peças que já foram delas. Tudo isso valorizando a dedicação de cada pessoa que as produziu. 

Vamos usar muito o App não apenas pelas trocas, mas sim porque a partir dele estaremos cooperando para criar uma realidade diferente. Onde a gente não é só o que compra, mas sim o que troca com os outros. Onde a gente se preocupa com o que consome, mas também como consome. 

E ah, depois de baixar, fuce, experimente e nos digam o que acharam escrevendo para mari@maripelli.com.br. Todo feedback é essencial pra gente evoluir e fazer muitas trocas acontecerem por ai!

Pra quem for de Floripa, vamos fazer o primeiro encontro de lançamento presencial na segunda-feira, dia 06/03, lá na UDESC.

Pra quem for de outras cidades: aguenta um pouquinho que estamos organizando as datas dos lançamentos Brasil a fora. Em breve vai rolar em todos os lugares em que tiver alguém interessado pra fazer acontecer. Pra quem quiser puxar essa história na sua cidade, bairro ou rua, escreve no mari@maripelli.com.br pra ser incluído na roda de embaixadores(as).

Muito, muito e muito obrigada!

Mais do que ver ele funcionando, ter feito isso acontecer do jeito que foi é o que, pra mim (Mari Pelli) deu toda a graça da história. Nunca vamos achar que agradecemos o suficiente a todo mundo que colaborou. Mas né, como agradecer? Como agradecer aos 315 apoiadores que acreditaram na ideia, investiram no financiamento coletivo e confiaram até o final, nos dando todo o tempo que precisamos para fazer o App nascer? Como agradecer aos parceiros que ofereceram as recompensas, ao Catarse por existir e ser a plataforma que viabilizar essas paradas e a todos aqueles que curtiram, compartilharam dando toda a força possível pra gente arrecadar a grana essencial pra dar esse primeiro respiro pro projeto?

Quer coisa mais linda do que ver algo nascendo da vontade de um monte de gente que se junta pra fazer algo acontecer? É vendo essas coisas, e vendo o resultado desse movimento existindo com o App no ar, que eu tenho mais ânimo pra fazer coisas junto com as pessoas. Se nasceu um App pra trocar roupas, o que mais não pode existir assim? Não tem contrato, não tem growth hacking ou fundo de investimento que dê essa energia não! Vi muitas coisas que me deixaram triste acontecerem no mundo durante esses últimos tempos, mas esse projeto guardou uma pontinha de esperança no coração de que a gente pode se organizar e criar o mundo que quiser. E a gente pode fazer o que quiser contando com o apoio das pessoas. Elas tão ai do seu ladinho. É só chamar pra chegar junto.

E obviamente, os agradecimentos especiais pra quem trabalhou de pertinho desenvolvendo o app. Nada disso seria possível sem o Henrique Rangel, nosso desenvolvedor-magia que abraçou o projeto de uma forma que eu nem imaginava que seria possível. No meio de tantas histórias de desenvolvedores-ciladas (sério, nada contra os devs, pelo contrário, mas todo munto que eu conversei passou por dificuldades), ele ficava no nosso pé pra gente seguir o cronograma e se empolgava tanto quanto a gente a cada novidade. Sério, você foi foda demais!

Não seria possível sem o incrível Daniel Larusso, que estava lá desde o comecinho, sonhou a ideia junto, criou a campanha, se enfiou nas pilhas de roupa do vídeo, deu a cara pro app, cuidava do "vamos direto ao ponto" enquanto eu e o Henrique queríamos colocar mais mil e uma funções e continuou sendo meu parceiro pra vida que eu amo tanto. <3

À Barbara, que nos últimos meses tem sido fundamental pra que o Roupa Livre siga energizado, pitacou nos finalmentes e tem dado uma baita força pras coisas acontecerem. <3

E eu podia ficar aqui citando um por um que deu apoio, dicas ou um acolhimento de "que bom que tá ficando pronto" quando eu dizia "mas tá muito atrasado!". Mas acho que vocês entenderam o recado né pessoas amadas? Muito obrigada por tudo. E AGORA CHEGA DE PAPO. BORA BAIXAR O APP E COMEÇAR A TROCAR \o/\o/\o/\o/

-- Post escrito com carinho, por Bárbara Poerner e Mari Pelli.