fashion revolution

Balanço Final - Fashion Revolution 2016 em Floripa

Balanço Final - Fashion Revolution 2016 em Floripa

Em abril aconteceram ao redor do mundo vários eventos organizados sob a bandeira doFashion Revolution. Eu, que me mudei recentemente para Floripa, me engajei na organização dos eventos por aqui (mas fiquei com muita vontade de participar das atividades em outras cidades) e escrevo fazendo um balanço geral sob o meu ponto de vista. Vem ver! 

A escravidão está na moda.

A escravidão está na moda.

Escravidão. Se você acha que este assunto só existe nas aulas de história, infelizmente está enganado. O número de pessoas que vive nesta condição aumentou e muito nos últimos anos.

Entre os séculos 16 e 19 foram traficadas 12 milhões de pessoas. Hoje em dia, são 36 milhões os que vivem em situação análoga à escravidão, segundo o The Global Slavery Index (usado como fonte nesta matéria da Superinteressante).

Quem fez minhas roupas?

Quem fez minhas roupas?

Na infância, algumas das minhas eram feitas pela Teresinha, costureira amiga da minha avó. As visitas pra escolher modelo, medir e provar são lembranças boas dos meus primeiros contatos com o mundo da costura.

Corta pra 2015. Abro meu armário e não consigo dizer o nome de quem fez o que está ali dentro. Pior do que isso, não sei nada sobre a condição de vida dessas pessoas.